Nesta semana no dia 16/01/2018 o Consulado-Geral do Brasil em Cochabamba, na Bolívia, resolveu funcionar apenas mediante sistema interno e orientou aos brasileiros para que permanecessem em suas residências e não participassem de manifestações.

A mobilização foi grande e a população Boliviana se manifestou por 18 horas de maneira veemente contra o regime de Evo Morales que quer se perpetuar no poder, tirando do povo direitos básicos como a liberdade de expressão, a liberdade de imprensa e a liberdade religiosa.

O Consulado brasileiro para evitar que eles sofressem repressões do estado fez recomendações para que os mesmos não se engajassem nas manifestações, em vista de incitações e desdobramentos passíveis de violência e que permanecessem em suas respectivas residências, evitando, portanto, ultrapassar bloqueios que estariam estrategicamente distribuídos pela cidade.

A organização envolveu diversos setores da sociedade civil que são contra a aprovação do Novo Código Penal do país que proíbe, por exemplo, a evangelização e ao mesmo tempo reduz a pena para traficantes de drogas dando o direito ao individuo de portar qualquer droga em quantidades razoáveis. O artigo 88 determina a prisão de 7 a 12 anos para quem cometer o “crime” de recrutar (evangelizar) pessoas para participarem de organizações religiosas ou culto. Contudo, o artigo 125 determina a prisão de 1 a 3 anos para quem for pego com uma quantidade de drogas acima do que a permitida no país. Maconha até 100 Gramas, pasta base de cocaína até 50 gramas e cocaína 25 gramas o que não será crime conforme artigo 107.

Outros temas como poder abortar até a oitava semana; além de eutanásia (art 133) e tortura (art 87)que foram abrandados. Já os médicos (art 205) podem ser presos ou terão que indenizar a família de pacientes que entrem em óbito ou tenham alguma sequela após os procedimentos o que já provoca uma greve dos médicos em La Paz e em Cochabamba.

A Bolívia tem em sua população cerca de 93% de Cristãos. O Novo código penal sancionado pelo Presidente Evo Morales trouxe uma séria de manifestações diante da perplexidade das propostas.

De acordo com o recenseamento de 2012, a Bolívia tem uma população de 10.027.254 de
cidadãos. Tem uma grande proporção de índios autóctones, sobretudo Quechua e Aymara,
com populações menores de Guarani e Chiquitano.
4 O país tem uma área de 1.098.581 km2

. A língua oficial é o espanhol e o sistema político é uma república parlamentar unitária
com uma democracia representativa e participativa.

Cristãos (93,9%)
Católicos (78,9%)
Protestantes (13,7%)
Outros Cristãos (1,3%)
Outras Religiões (2%)
Sem Religião (4,1%)

Sérgio Borges
ONG Liberdade Religiosa